18 de dezembro de 2009















Saudade

Saudade, sombra que trilha, por onde.
Andou a paixão; inevitável cedilha da palavra "coração".
Saudade, sino plangente, que badala.
Sem cessar, dentro d`alma e faz a gente
Não sei por que, soluçar...
Saudade, palavra linda, inventada para
Dizer: eu te quis, te quero ainda e
Sempre te hei de querer.
Saudade, estrela que fica, quando as
Outras já se vão, e, ficando, mortifica.
A noite do coração.
Saudade, febre que a gente sem querer
Pode apanhar...
Nunca mata de repente
Vai matando devagar.
Saudade, nem é preciso perguntar de
Onde ela vem; basta lembrar o sorriso.
E os olhos que você tem.
Saudade, fim de um enlevo, que perdi,
Não sei por que, pois tudo isso que
Escrevo são saudades de você.

(Colombina)

AddThis Social Bookmark Button


0 comentários: to “

 

Design by Amanda @ Blogger Buster